Posts filed under ‘Ctrl+c Ctrl+v’

Porque não existem vírus para Linux?

Hoje me perguntaram porque não existia vírus para Linux. Sei que muita
gente também tem essa dúvida.

Para começar, duas observações:

* O fato de não existir vírus para Linux nada tem a ver com sua
popularidade. O Linux já é bastante popular e continua *quase* que sem
vírus
* Fazer vírus em Linux é fácil. Conseguir algum efeito com ele que é difícil.

O grande motivo de não existir vírus para Linux é sua própria
natureza. Os Unix (aqui incluo MacOSX e BSD, por exemplo) foram
projetados de uma forma muito mais segura que o Windows onde muitas
funções podem ser acessadas por alguns serviços sem qualquer restrição
e nem uma requisição de senha. Nos Unix isso não acontece. Para
executar a maioria das tarefas significativas é preciso ser alguma
“autoridade” no sistema.

O Linux tem definições bem simples e, pasmem, super funcionais. Ele
utiliza o conceito de dono, grupo e “outros”. E você pode definir,
para cada arquivo e diretório do sistema, permissões diferentes para o
dono, grupo e para todo mundo que não é nenhum dos dois. O dono
poderia escrever e ler, o grupo poderia executar e o resto não poderia
fazer nada, por exemplo.

Alguns vírus de prova de conceito foram criados, mas nenhum real
conseguiu fazer algum dado no sistema. No máximo ele conseguiria
remover alguns arquivos do usuário, mas nada do sistema. A não ser,
claro, que executado como root. Como a maioria dos usuário Linux são
educados a só usar o root quando devem, isso é difícil de acontecer.

Fazendo uma *brincadeira*, os vírus no Linux são assim:

– Ei cara, eu sou um vírus. Me execute
* O usuário final tentaria executar e o vírus responderia:
– Ah não! Você não é root. Por favor, se logue como root, me dê
permissão de execução e depois me rode. E lembre-se: eu sou um vírus.

E mesmo assim ele seria capaz de se barrar com alguma permissão especial.

Mas aí alguém pode perguntar “E por que existem anti-vírus para Linux?”

Bem, os anti-vírus para Linux foram feitos para detectar vírus do
Windows. Um vírus é um programa como outro qualquer e ele fica
armazenado no disco. Nada impede que uma máquina Linux tenha um vírus
do windows e que ele seja copiado para outra máquina Windows junto com
algum arquivo *do windows*. Veja bem, os vírus do Windows não fazem
qualquer efeito no Linux.

É muito comum, por exemplo, usar o anti-vírus em máquinas servidoras
de email que rodam Linux. Se alguém envia um email infectado este
email não faria dano no servidor Linux, mas caso ele esteja endereçado
para alguém com Windows ele pode fazer algum estrago.

Bem, é isso. Vale lembrar que os outros Unix-like também “sofrem”
desta mesma vantagem. 😀


Hugo Doria
http://hdoria.archlinux-br.org

Anúncios

06 jun 2008 at 3:39 pm 2 comentários

O Rui Barbosa falou.. o Rui Barbosa avisou!

Rui Barbosa

“De tanto ver triunfar as nulidades,

de tanto ver prosperar a desonra,

de tanto ver crescer a injustiça,

de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus,

o homem chega a desanimar da virtude,

a rir-se da honra,

a ter vergonha de ser honesto.”

RUI BARBOSA – (1914) – “no Senado Federal”

29 fev 2008 at 3:06 am 1 comentário

O dia em que tudo deu errado =]

Pau-de-araraTerça-Feira, 5 de fevereiro de 2008

Pessoas saem para passear a aproveitar o pontos turísticos da região ( localizado por volta de Japaratuba e Pirambu).

Primeiro lugar: Banho do Prata, um lugar maravilhoso para todas banho com águas claras.
Assim que as pessoas chegam lá, a primeira imagem é: Um turbilhão de carros. E a segunda é ” Eta caraio, é o piscinão de ramos ”
Resultado.. Fomos ao segundo lugar, desta vez um lugar chamado Lagoa Redonda (parte1) local onde se vai parar andar nas dunas e aproveitar o dia.

Chegando lá…

Narração:

“Eta sol do caraio, vou andar em duna nenhuma não”
“É veio, calor da porra”
“Então vamo sentar!”
“Cadê as cadeiras???” o.o

Tínhamos 5 cadeiras e 7 pessoas, as outras duas cadeiras que conseguimos são mais popularmente chamadas de engradados de cerveja.

Fomos embora!

Lagoa Redonda (parte2)

Esse foi o melhor lugar conseguimos tomar banho e beber alguma coisa, já comeer.. bem.. passamos umas 2 horas esperando batata frita quando fomos reclamar disseram: “não tem batata não” ¬¬
Pagamos a conta e fomos embora.

*Agora vem a melhor parte*

Ao irmos embora o nosso “querido” carro estava fraco, não queria subir ladeiras (imaginem só ¬¬)

“Desce todo mundo do carro que eu pegar impulso” – Cunhado

*Todo mundo desceu*
*Ele subiu e nós subimos a ladeira caminhando* – Até aí tudo bem –

Pegamos o embalo e pensamos que íamos chegar em casa em paz.. mas era tudo ilusão.
O filha da puta de um uno apareceu e fez o nosso querido motorista frear.
E paramos de novo em outra ladeira.
E dessa vez, não teve como “pega impulso” não, ou seja todo mundo SE LASCOU!

“Vamo empurrar essa Joça”
“É né?! é o jeito”
“Eu disse que era melhor ter parado ali e a gente já empurrava, foi pegar impulso vamos ter que empurrar tudo agora”

Beleza! Mais ou menos 1h para empurrarmos a porra do carro ladeira acima!
Pés descalços porque tava escorregando.
Resultado: milhões e buraquinhos de pedrinhas nos pés! ¬¬

Ah sim, preciso ressaltar que estávamos no fim do mundo.

Então subimo, mas aí aconteceu mais alguma coisa, o carro não tava querendo andar.
Ligava, mas deiva estar a uns 10km/h e não saía do lugar. Paramos pedimos água a uma moça lá e dicidimos guardar o carro em alguma casa, porque não tinha como subir milhões de ladeira daquele jeito.

Beleza! Paramos numa casa e deixamos o carro lá.

“E agora?”
“Vamo andando”

Andamos e andamos…

Preciso dizer que estávamos no fim do mundo de novo.

O celular não tinha sinal.. não passava mais nenhum ônibus aquele horário (por volta da 17h) e aí continuamos a andar, quando de repente..surgiu a luz

Um caminhão pau-de-arara passou, e o gentil motorista nos fez o favor de nos dar carona. =] *uma alma boa*

Subimos no troço e fomos embora.
Acho que nunca fui tão sacudida!
Mas o cara deixou a gente na porta de casa (do interior é claro) o cara era foda! \\\\o

Enfim.. quase descíamos no lugar errado, pois os outros “caroneiros” que estvaam no caminham nos confundiram(idiotas! ¬¬), mas conseguimos chegar!

Ao descermos do Caminhão e olharmos o motorista sumindo ao horizonte, observamos a placa do caminhão dele, e ela dizia:

“Quando Deus quer, é assim.”

Fim.

Personagens: Fernanda, Timeu – cunhado -, Fabiana – irmã -, Tércio – concunhado -, Tadeu – concunhado -, Deniel – amigo – e Juninho – primo -.
Foto: Caminhão Pau-de-arara =]

Esse foi um dos dias do meu carnaval e aí como foi o de vocês? 😀

Texto: Fernanda

Foto: Deniel Rocha

21 fev 2008 at 4:00 am 1 comentário


Agenda

setembro 2017
S T Q Q S S D
« out    
 123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930  

Posts by Month

Posts by Category